selo

Oferecimento

Comunicação

04/04/2014
Encontro Locaweb é sucesso em Belo Horizonte

locawebNa última quinta-feira, 03 de abril, aconteceu em Belo Horizonte, o 16º Encontro Locaweb de Profissionais de Internet em Belo Horizonte, com o apoio de mídia do Hoje em Dia e do Minas Marca.

 

O encontro teve a curadoria de dois profissionais referência no mercado: Martha Gabriel, PhD em marketing digital e autora de cinco livros, inclusive o best seller “Marketing na Era Digital” e, Diego Eis, um dos maiores especialistas do Brasil em Front end e criador do site Tableless, referência em desenvolvimento com padrões web.

 

Responsável pela sala MBI (Marketing, Business & Innovation), Martha abordou temas como empreendedorismo, tendências de tecnologia e marketing digital e, na Sala Tableless, Diego tratou sobre o mundo dos desenvolvedores e tudo que o cerca, como linguagens de programação, códigos, responsive design, SEO, acessibilidade, entre outros.

 

Além dos temas abordados na sala MBI, outra novidade ficou por conta de três palestras dinâmicas, com duração de 20 minutos cada e, um painel final de discussão mediado por Martha, com os participantes e os palestrantes, seguindo os moldes do TEDx. Os palestrantes foram: Edney Souza, sócio da boo-box e 00k e-business tools e professor de Redes Sociais na FGV, na ESPM e na Ecommerce School; Alberto André, sócio-diretor da 5Seleto, organizador do FiveCON e Márcio Pinheiro, especialista em CRO (Conversion Rate Optimization), UX (User Experience) e Growth Hacking Copywritin.

 

O gerente de marketing institucional da Locaweb, Luis Carlos dos Anjos, disse que o mercado de marketing digital no Brasil é muito bom e está crescendo muito. E avalia que Minas consegue acompanhar essa tendência, sendo o 3º melhor mercado do país, atrás apenas de São Paulo e Rio de Janeiro.  

 

Luis Carlos comemorou a edição de Belo Horizonte e destacou que o público superou as suas expectativas em 30%, foram 450 inscritos. “O público mineiro é muito qualificado, faz perguntas boas e é muito engajado. Em uma das edições do evento em BH, fomos trend topics do Brasil”.

 

O Minas Marca esteve presente e fez a cobertura das palestras realizadas na sala MBI (Marketing, Business & Innovation ). Confira:

 

Inove ou morra tentando

A palestra de Gustavo Caetano, CEO da Samba Tech, mostrou como as startups podem atingir grandes mercados já consolidados e apontou para a importância da inovação.

 

Gustavo descreveu o cenário atual como: informação acessível a todos, grande competitividade e um mercado cada vez mais dinâmico, onde é cada vez mais difícil fazer um planejamento de longo prazo.

 

As startups estão focando em uma pequeno nicho de mercado, se especializando e assustando grandes empresas com o seu crescimento tão acelerado. O CEO da Samba diz que o crescimento se deve a agilidade. E acrescenta: “Não copie os processos da IBM sem ter o tamanho da IBM. Monte pequenas empresas dentro da sua”.

 

Gustavo aconselha: “Crie algo novo e especialize em algo que ninguém faz. Inove com propósito, seja melhorando a vida das pessoas, arrumando algo que está errado ou prevenindo que algo bom desapareça. Experimente mais. Teste o seu produto, leve ao mercado, erre, volte atrás e faça de novo. A ideia por si só não vale nada, transforme-a em algo palpável e não a apresente em um power point, mostre um protótipo”.

 

Experiência e prazer

Marcello Tripoli, presidente no Brasil da agência Sapient Nitro, ressaltou que as experiências digitais estão mudando o mundo, deixando os consumidores mais exigentes e com expectativas cada vez maiores. Com isso, precisamos melhorar cada vez mais porque os consumidores não aceitam falhas.

 

Para o profissional, a experiência é o melhor jeito de criar marca. Isso porque aprendemos  muito mais quando vivemos a história do que quando apenas a ouvimos. A Nike reduziu o investimento em publicidade em 30% e criou produtos. O pensamento da empresa é que a experiência com o consumidor é mais importante. Como exemplo, tem o aplicativo da Nike para corrida. Alguns que usam o aplicativo podem nem usar o tênis da Nike, mas registram o seu tempo de corrida e compartilham esse produto com os seus amigos nas redes sociais.

 

“Hoje, a abordagem tem que ser holística, pensar em multi devices. Além de pensar em múltiplas telas, tem que pensar em mobilidade, em contextos diferentes. Tem que pensar o contexto de uso do produto. Está provado economicamente que um bom trabalho de experiência faz a diferença.O storytelling está sendo substituído pelo storyexperience. Pela história que você viveu, ninguém te contou”, ressalta Tripoli.

 

O profissional apresentou alguns vídeos de trabalho da agência SapienNitro que explora a storyexperience. Clique aqui e veja o trabalho de um quiosque de café sem vendedor.

 

A experiência em uma pista de esqui, com momentos compartilhados com amigos, também foi apresentada. Conheça o trabalho aqui.  

 

Marketing de conteúdo

Como professor de redes sociais, Edney Souza, o Interney, falou sobre a importância do conteúdo relevante para atrair os consumidores para a fanpage. Frisou que o produtor de conteúdo precisa falar a linguagem do público-alvo e conhecer muito bem o seu produto.

 

O profissional também passou algumas dicas importantes:

 

1- Eu não quero saber quem você é

Ao invés de contar sua missão, visão e valores, conte história. Além de mostrar as informações, mostre como usá-las.

 

2- Fale a linguagem do seu público. Use as gírias e expressões dos seus consumidores.

Experimente diferentes títulos para chamar a atenção. Ouça as histórias do seu público.

 

3- Seja transparente

Não existem tabus. Abra o jogo, peça desculpas, reconheça seus erros. Não se leve muito a sério.

 

4- Planejamento de conteúdo

Você precisa de um projeto editorial com linguagem, categorias, exemplos de pautas, horários de postagem. Você precisa de profissionais.

 

5- Métricas e conversões

Seu objetivo não é visibilidade, a não ser que seja um portal de notícias. Seu objetivo é vender.

Engajamento não é um fim, é um meio, uma métrica intermediária. E esse engajamento precisa levar à venda.

 

Métricas

Alberto André, CEO da 5Seleto, falou sobre a importância das métricas para o fim essencial para o cliente: as vendas. O profissional destacou as métricas essenciais para montar uma estratégia digital: número de visitas; custo por visitante (CPV), que significa tudo o que é gasto com marketing para originar visitas; número de leads; taxa de conversão de visitante para leads; custo por lead (CPL); número de leads qualificados; taxa de conversão de leads para leads qualificados (SQL); número de clientes novos; taxa de conversão de leads qualificados para clientes;  custo por aquisição de cliente (CPA).

 

O desafio do óbvio

Outro palestrante foi o especialista em CRO (Conversion Rate Optimization), UX (User Experience) e Growth Hacking Copywriting, Márcio Pinheiro, com o tema “O desafio do óbvio para uma cultura de conversão no Brasil.

 

Em uma palestra divertida, o profissional mostrou os erros grosseiros de um dos maiores e-commerces, a americanas.com. Ele disse que decidiu comprar uma máquina fotográfica, conversou com um amigo pedindo a indicação de uma máquina que o aconselhou a comprar uma da Fujifilm.

 

Márcio aconselhou a plateia a fazer uma lista de objeções sobre qualquer produto que queira comprar para realmente avaliar se aquele é o certo. Contando sobre a sua experiência, disse que a sua lista tinha 152 objeções sobre aquele produto escolhido. Então, pesquisou na web e encontrou a máquina desejada na loja virtual da Americanas.

 

No entanto, o profissional mostrou diversos erros que espantam o consumidor, o que fez com que ele ainda não tenha comprado a sua máquina. Márcio mostrou que o site não apresenta informações relevantes, apenas questões muito técnicas como em um manual. Além disso, dispersa a atenção do consumidor com outros produtos que não são de interesse.

 

O especialista destaca que as empresas deveriam escutar os vendedores das lojas antes de produzir o conteúdo da loja virtual, pois são eles que conhecem o produto e as objeções mais comuns dos clientes. Ainda reforça que o grande desafio é ter bom senso e analisar o que está óbvio, pois é ali que estão os piores erros. “Utilize o bom senso para ver o óbvio do negócio de vocês porque é lá que está vazando o dinheiro”, finaliza.

 

Após a apresentação rápida de 20 minutos, Edney, Alberto e Márcio ficaram disponíveis para um debate intermediado por Marta Gabriel. A última palestra do encontro na sala de MBI foi com a PHd em Marketing Digital, com o tema Tendências de Marketing e Business.

 

Tendências

Martha Gabriel falou sobre a tecnologia, as micro e macro tendências. Destacou que estamos nos ‘cloudificando’, deixando nosso documentos e arquivos cada vez mais na nuvem e a mistura entre o on e o off é constante.

 

Disse que as tecnologias vão estar cada vez mais aceleradas e para resolver as coisas são necessárias três coisas: pensamento crítico; inovação e criatividade e conexão.

 

A especialista disse que hoje o mundo é digital e como tudo passa a ser dados, aconselhou a plateia para aprender a aprender programação, nem que seja apenas dois tipos, para entender a nova lógica do mundo.

 

Sobre tendências, Martha ressaltou que a única maneira de prever o futuro é olhar para os jovens. E para verificar se deu certo, olhe para os velhos. Ainda brincou e perguntou se os pais dos participantes utilizam o Facebook, a maioria levantou a mão.

 

Grandes Tendências:

- Mobile

- Data Economy (Gameficação, Big Data, Cloud Everything, Convergência, Desmaterialização)

- Real Time (Economia Criativa)

- Social (Crowdsourcing)

- Sustentabilidade (Economia da felicidade)

 

Martha finaliza dizendo que hoje, todo mundo tem acesso a tudo, estamos caminhando a abundância e tecnologia. “Hoje um agricultor no interior do país, com um smartphone e internet, tem mais informação que o presidente dos Estados Unidos há 30 anos”. 

Comentar
Deixe Sua Resposta

Comentar

* = Preenchimento obrigatório
Nome *
Email *
Mensagem *
 

Últimos Comentários

Nenhum comentário ainda.
Publicidade